Doenças Urológicas | Protatite Aguda

Doenças da próstata: prostatite aguda

A próstata pode ser acometida por varias doenças e a prostatite é a doença prostática mais comum em homens com menos de 50 anos e o terceiro diagnóstico mais comum em homens com mais de 50 anos (após hiperplasia prostatica benigna e câncer de próstata). A prostatite aguda é mais fácil de identificar do que a prostatite crônica, devido à sua apresentação clínica ser mais uniforme.

A prostatite aguda apresenta-se como uma infecção aguda do trato urinário. Geralmente, ela está associada a fatores de risco predisponentes, incluindo obstrução da saída de urina da bexiga secundária à hiperplasia prostática benigna (HBP), estenose de uretra ou a um estado imunossuprimido. Aproximadamente 10% dos casos de prostatite bacteriana aguda evoluem para prostatite crônica.

Os seguintes são fatores de risco para prostatite bacteriana aguda (todos permitem colonização bacteriana do trato urinário):

·   Refluxo ductal intraprostático

·   Fimose e prepúcio redundante ou hipertrófico

·   Intercurso anal desprotegido

·   Infecções do trato urinário

·   Epididimite aguda

·   Uso de cateter ou sonda vesical

·   Cirurgia transuretral

·   Recente biopsia de próstata.

Quanto a evolução do quadro agudo se a resposta inicial à terapia médica para a prostatite bacteriana aguda é favorável, o prognóstico do paciente é muito bom. A diminuição da fertilidade foi relatada, mas apenas nos casos de inoculação bacteriana maciça. O abscesso prostático é uma complicação incomum, grave, mas bem descrita da prostatite bacteriana aguda. Embora muito raro, geralmente ocorre em pacientes que são imunocomprometidos, que têm diabetes, que possuem instrumentação uretral ou um cateter uretral permanente prolongado ou que estão em diálise de manutenção. As bactérias coliformes, especialmente E. coli, causam mais de 70% dos abscessos prostáticos. Outras possíveis sequelas da prostatite bacteriana aguda incluem progressão para prostatite crônica com consequente dor pélvica e elevação do PSA (antígeno prostático específico), sepse, pielonefrite e epididimite. Quase 10% dos pacientes com prostatite bacteriana aguda desenvolvem prostatite crônica e outros 10% desenvolvem síndrome da dor pélvica crônica.

Fonte:  Manual da Sociedade Brasileira de Urologia; emedicine.com